Amamentação exclusiva: 6 benefícios vão além dos seis primeiros meses de vida

Mesmo antes de o bebê nascer, os pais já são orientados pelo obstetra sobre a importância da amamentação exclusiva até os 6 meses de idade.

Após esse tempo o bebê pode e deve continuar sendo amamentado, pelo menos até os 2 anos de idade, mas também precisa começar a conhecer novos sabores e texturas para se adaptar a imensa diversidade de alimentos que descobrirá pela frente.

Mas você sabe por que o leite materno é tão importante para o bebê e quais os benefícios que ele traz? Veja agora e comece a perceber a amamentação exclusiva por um novo olhar.

Os benefícios da amamentação exclusiva até os 6 meses

Todos os anos o Ministério da Saúde lança uma campanha de incentivo à amamentação exclusiva até os 6 meses de vida do bebê. A campanha costuma ocorrer ao longo da Semana Mundial da Amamentação que vai do dia 1 a 7 de agosto.

Essa campanha é necessária porque, embora os pais recebam dos médicos a orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre o quanto é importante cumprir o aleitamento exclusivo até o sexto mês de vida de uma criança, muitos ainda acreditam que não faz diferença oferecer outro tipo de leite quando a mãe sente dor ao amamentar, por exemplo.

É claro que, tudo vai depender das condições de saúde de ambos. Portanto, sempre que tiver dúvidas, consulte o seu médico!

Naturalmente, cada caso tem suas particularidades e, de fato, algumas mães necessitam recorrer a alternativas para alimentar seus recém-nascidos.

Mas, de modo geral, esse incentivo para a amamentação exclusiva não acontece à toa. Conheça os benefícios do leite materno para a saúde e o desenvolvimento do bebê.

  1. O leite materno é um alimento completo

O primeiro e mais importante motivo para nunca abrir mão da amamentação exclusiva até os seis meses de vida do bebê é que o leite materno é o alimento mais completo que a criança pode receber.

Ele é fonte de todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento da criança nesse período da vida.

  1. Fortalece o sistema imunológico

Ao ser amamentada apenas com leite materno, a criança tem o seu sistema imunológico cada vez mais fortalecido, ajudando a prevenir doenças no presente e no futuro, justamente porque o leite da mãe é completo.

  1. Proteção intestinal

É bem comum que os bebês alimentados com fórmulas sintam cólicas frequentes e muitos pais não sabem o motivo.

Acontece que as fórmulas não contêm uma molécula chamada PSTI, que está presente no leite materno e protege o sistema intestinal do bebê, o que também evita as cólicas.

  1. Estreita o vínculo entre mãe e filho

Esse benefício também é muito importante não apenas para o bebê, mas para a mamãe.

O momento da amamentação deve ser de tranquilidade, troca de olhares, carinhos e atenção plena, fortalecendo e estreitando o vínculo entre mãe e filho que vai perdurar pelas próximas fases da vida da criança.

  1. Ajuda a prevenir a obesidade infantil

Sim, é possível prevenir a obesidade infantil desde o nascimento por meio da amamentação exclusiva.

Quando o bebê recebe outros alimentos além do leite materno até o sexto mês, como as fórmulas, seu organismo começa a perder o equilíbrio na produção de insulina, facilitando o acúmulo de gordura ao longo da infância.

  1. Faz bem para a mãe

Uma mãe feliz e tranquila consegue amamentar o seu bebê com mais qualidade. Por isso, a natureza é perfeita até mesmo em ajudar as mamães a se recuperarem da gestação por meio do aleitamento exclusivo.

Amamentar ajuda a emagrecer, pois gasta muitas calorias, protege contra o câncer de mama e de ovário, reduz o risco de síndrome metabólica e doenças cardiovasculares.

Advertisement
Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.