A partir de que idade as crianças podem comer chocolate?

O açúcar já é considerado o maior veneno dos nossos tempos. A verdade é que ele está incluído em vários alimentos não apenas nos doces. Cada vez mais surgem campanhas para evitar o consumo de doces e alimentos açucarados.

Este cuidado é ainda maior nas crianças. A questão é, quando as crianças podem comer chocolate?

O açúcar deve ser evitado até aos dois anos de vida, mas este deve ser consumido de forma moderada toda a vida.

Quando podemos dar chocolate às crianças.

Apesar das recomendações, muitos pais defendem que a criança tem vontade, elas não podem ter vontade de algo que nunca provaram e não sabem o sabor.

Maléficos do Açúcar nas crianças

A maioria das pessoas associa o excesso do consumo de doces à obesidade, no entanto, ele pode causar vários problemas, alguns de imediato outros a longo prazo.

Além da obesidade, pesquisas ligam o consumo exagerado de alimentos e bebidas com de açúcar a problemas como:

Diabetes tipo II

Doenças cardiovasculares

Hiperatividade

Dificuldade de concentração

Irritabilidade

Anemia

A partir de qual idade devo oferecer açúcar para a criança?

A OMS recomenda que a partir dos 2 anos a criança possa comer um limite máximo de 10% do valor energético total. Pode, mas não é necessário que o faça e nunca diariamente.

Como fazer escolhas mais saudáveis para as crianças?

Deve evitar chocolates, balas e outros doces, o ideal é optar por opções mais saudáveis como o mel, o açúcar mascavo, o açúcar de coco ou melado.

No caso do chocolate opte por oferecer o amargo ou meio-amargo.

A verdade é que todos, adultos e crianças, gostam de comer um doce, o truque é aprender a fazer escolhas certas. Há cada vez mais opções de receitas de bolos, biscoitos, sorvetes,  sobremesas feitas com ingredientes saudáveis.

A família deve ser sempre o exemplo, não vale a pena proibir a criança e depois comer às escondidas.

Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.