Primeiras consultas do bebê: quais são as especialidades médicas

Quando a mulher fica grávida, dois sentimentos se misturam logo de início: a felicidade e a preocupação.

Ter um bebê é em casa é uma grande responsabilidade e requer muitos cuidados. Tais como saber quais devem ser as primeiras consultas do bebê e em quais especialidades médicas elas são realizadas.

Para se certificar da saúde dos seus pequenos, os pais acabam recorrendo a diversas especialidades médicas nos primeiros anos de vida. Será que tem necessidade ou apenas o pediatra é suficiente?

Especialidades médicas e primeiras consultas do bebê

O mais indicado é que durante toda a infância, o pediatra seja o responsável por avaliar a saúde da criança. E é justamente esse profissional que poderá avaliar e direcionar para outros especialistas, caso seja necessário. Entretanto, caso sinta necessidade ou queira verificar a saúde do seu filho (a), pode agendar as primeiras consultas do bebê com os seguintes especialistas:

Oftamologista

De acordo com a Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica, a visita mais importante ao oftalmologista é por volta dos três anos de idade. Ela é importante para afastar pequenos problemas que com o tempo evoluirão, como estrabismos ou anisometropia.

Se essas situações não forem corrigidas na infância, o desenvolvimento da visão do olho de maior grau ficará comprometido.

Consultas preventivas ao oftalmologista antes dos três anos de idade devem ser feitas em crianças que nasceram prematuras, têm pais ou familiares próximos com graus médios, fortes ou estrabismo ou portadoras de doenças neurológicas ou genéticas.

Odontopediatra

A especialidade médica odontológica também entra na lista das primeiras consultas do bebê e deve ser feita quando começar a nascerem os primeiros dentes, que pode acontecer até o primeiro ano de vida. Caso os dentinhos não apareçam, é necessário procurar um odontopediatra por volta dos 12 meses para realizar exames e saber o que está acontecendo.

Outra visita deve ser feita por volta dos dois anos e meio, no final do nascimento dos dentes de leite e aos seis anos, quando os primeiros dentes permanentes começam a nascer.

Veja mais recomendações da Associação Brasileira de Odontopediatria para recém nascidos e crianças.

Visita ao otorrino

O teste da orelhinha que é realizado na maternidade mede a capacidade do sistema auditivo periférico e dispensa exames adicionais nos primeiros anos de vida. Somente é indicada uma visita ao otorrino se o pediatra encontrar algum problema na criança.

Leia mais informações na Academia Brasileira de Otorrinolaringologista Pediátrica.

Perguntas que devem ser feitas ao pediatra nas primeiras consultas do bebê

A primeira visita dos futuros pais ao pediatra precisa ser feita antes do bebê nascer. A escolha desse profissional é essencial, por isso, busque um pediatra experiente e que já tenha atendido alguém conhecido. Veja se o profissional faz parte da Sociedade Brasileira de Pediatria ou outras referências como opiniões, artigos e até reclamações.

Na primeira consulta os pais podem tirar todas as dúvidas sobre os primeiros dias do pequeno, principalmente, os pais de primeira viagem.

Para escolher o melhor pediatra para seu filho é indicado levar em conta alguns fatores: se o médico atende o seu plano de saúde; quanto custa uma consulta; a distância da clínica até sua casa e se o profissional tem disponibilidade para atender emergências. Ou seja, ele deve estar disponível para ser contactado pelo celular.

Para quem está esperando o primeiro filho e quer tirar dúvidas com o pediatra, aqui vão as principais perguntas que devem ser feitas nas primeiras consultas do bebê com esse profissional.

Sendo que a primeira consulta deve ser feita antes de o bebê nascer, mas as principais perguntas devem ser feitas nessa consulta antes de o bebê vir ao mundo e também na segunda visita que já deve ser após o nascimento.

Qual a forma certa de mamar? Estou amamentando meu bebê corretamente?

Quais são as vacinas que o bebê precisa tomar? Leve a carteira de vacinação.

Como fazer a higiene correta do bebê? Estou fazendo corretamente?

O que eu devo fazer em caso de vômitos, cólicas e regurgitações?

A urina e as fezes do bebê estão normais?

O bebê precisa tomar sol?

Como ocorre o processo da queda do umbigo? O que devo fazer antes e depois de cair?

Com que frequência o bebê deve ser levado ao pediatra?

Importância e frequência

Logo após o bebê nascer, a ida ao pediatra se transforma em um compromisso frequente na rotina da família. São as consultas que irão avaliar a saúde do bebê depois do parto, como está acontecendo o seu desenvolvimento, se está ganhando peso corretamente.

Em geral, os pais costumam seguir à risca a rotina das primeiras consultas do bebê e exames, principalmente durante os dois primeiros anos de vida. É costumeiro que depois disso os pais só voltem a procurar o especialista quando a criança apresenta algum sintoma.

O recomendado é levar a criança ao pediatra uma vez por mês durante o primeiro ano de vida, a cada três meses no segundo ano, a cada semestre dos 3 aos 7 anos e uma vez ao ano até 21 anos. Isso mesmo, porque a função do pediatra é garantir o desenvolvimento saudável do seu filho.

A fase final do crescimento e a fase que antecede a adolescência são muito importantes, mas depois da puberdade, existem aspetos afetivos e comportamentais que podem causar problemas à saúde. O trabalho do pediatra é garantir que a criança e depois o adolescente se torne um adulto capaz, forte e saudável.

Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.