Ter filhos faz as mulheres envelhecerem 11 anos de acordo com estudos

Ser mãe é maravilhoso, no entanto, a mudança de rotinas é bastante cansativa. Estas mudanças influenciam mais ou menos as mulheres. Todas reagem de maneira diferente.

Segundo um estudo recente, em média, as mulheres que tem filhos envelhecem 11 anos de vida.

As razões são variadas, mas as noites mal dormidas, a alimentação errada e a responsabilidade são as principais causas.

Filhos Fazem Mães Envelhecer

Um estudo realizado por uma universidade americana conclui que a maternidade envelhece. O estudo analisou o sangue de mais de 1.900 mulheres americanas, comparando alguns dados presentes no seu DNA.

O estudo baseia-se no fato de o nosso genoma mudar à medida que envelhecemos. Os nossos cromossomas são revestidos por estruturas chamadas telômeros, estes são filamentos microscópicos de proteína que funcionam como uma capa protetora.

Com o aumento da idade os telômeros desgastam-se e diminuem de tamanho.

O estudo comparou o DNA e os telêmeros de várias mulheres e conclui que as mulheres com filhos tinham, em média, 116 bases pares (unidade do telômero) a menos de mulheres sem filhos com a mesma idade.

Ou seja, a maternidade leva à perda destes telêmeros, a mesma quantidade que se perde em 11 anos de vida.

Conclusão do Estudo

O estudo revelou que as mulheres depois de serem mães começam a envelhecer a um ritmo mais rápido. A privação do sono, o cansaço e as responsabilidades levam a um esforço extra do organismo.

No entanto, as mamães podem inverter esta tendência com alguns comportamentos. Para evitar o envelhecimento precoce, é aconselhável fazer uma alimentação saudável e equilibrada e praticar exercícios diariamente.

O descanso é essencial, especialmente, as horas de sono que ajudam a repor as anergias.

Não é fácil quando temos alguém que depende completamente de nós, mesmo a dormir estamos a planear o nosso dia. Tire algum tempo para respirar, descansar e descontrair.

Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.