Porque o coração do bebê bate mais rápido do que o da sua mãe?

O coração do bebê bate mais rápido do que o da sua mãe durante a gestação. Muita gente não sabe, mas o coração é o primeiro órgão funcional a trabalhar.

Com 5 semanas de gestação o coração do bebê bate e bombeia o sangue para o corpo do pequeno. A musculatura do coração contrai de forma sincronizada e perfeita empurrando o sangue para o corpo e recebendo-o de volta.

No início o coração do bebê bate mais devagar próximo a 80 batimentos por minutos, com 9 semanas de gravidez esse batimento fica mais rápido, próximo de 180 batimentos por minuto e bem perto do nascimento, a frequência dos batimentos é em torno de 140 batimentos por minuto.

Veja também: Ecografia Morfológica do 1 Trimestre

Batimentos do coração do bebê

Ouvir o batimento do bebê é um dos momentos mais especiais na vida dos pais. O coração bate a ritmos diferentes, quando o bebê está quieto o coração desacelera. Quando o bebê está ativo, brincando na barriga de sua mãe o coração bate mais rápido.

No período de gestação o coração pode apresentar batimentos descompassados, como se essa preciosa rede elétrica entrasse em curto circuito e a isso damos o nome de Arritmias Fetais. Essa situação já não é normal e os profissionais que acompanham a grávida devem ficar atentos.

Na consulta do pré-natal, quando o médico escuta o coração do bebê e nos outros exames de ultrassom de rotina pode-se ter a suspeita de que o coração do pequeno está fora do compasso.

Quando isso ocorre a grávida deve ser examinada por um cardiologista fetal.

Controle dos batimentos fetais

Batimentos mais rápidos ou mais devagar podem prejudicar o desenvolvimento da criança que está perto de chegar e até colocar em risco a vida da mãe.

O exame de Ecocardiograma Fetal é um ultrassom específico para avaliar o coração que está se formando, por meio dele é possível saber se os batimentos descompassados trazem perigo e devem ser tratados com medicamentos ou se é um acontecimento simples de amadurecimento do sistema de condução.

O coração do bebê precisa estar na batida certa para que ele cresça e chegue perfeito aos braços da mãe.

O coração do bebê e da sua mãe batem no mesmo ritmo?

A resposta é não.

O coração do bebê que ainda está se formando dentro da barriga da sua mãe bate mais rápido do que o dela.

O coração do pequeno tem aproximadamente o dobro de batimentos do coração da sua mãe. Isso ocorre porque o pulmão do pequeno só começa a funcionar e a oxigenar o sangue após o nascimento.

O percurso é tão longo que o coração do bebê precisa trabalhar bem mais do que o do adulto para dar conta de todo esse processo.

O coração do feto começa a bater na quinta semana de gravidez. O sangue precisa sair do seu corpo por uma veia para ser oxigenado pela placenta no útero da mãe.

Pesquisa alemã afirma que bebê sincroniza as batidas do seu coração com o da sua mãe

Pesquisadores liderados por Peter Van Leeuwen e seus colegas da Universidade Witten/Herdecke, da Alemanha, afirmaram que os bebês no útero materno conseguem sincronizar seu ritmo cardíaco com o da sua mãe.

A pesquisa foi feita com um grupo de gestantes, no qual os cientistas pediram que elas variassem sua respiração., seguindo os ritmos de 10, 12, 15 e 20 ciclos de respiração por minuto.

Os cientistas descobriram que o bebê sincroniza seus batimentos cardíacos com os da mãe quando ela respira de maneira mais rápida.

A pesquisa afirma que o elo entre mãe e bebê poderá ser usado futuramente para encontrar anomalias no desenvolvimento do feto.

Portanto, o coração do bebê bate bem mais rápido do que o da sua mãe, mas de acordo com essa pesquisa alemã, os bebês podem sincronizar os batimentos cardíacos dele com os da sua mãe.

Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.