Superfetação é Possível Engravidar Estando Grávida

Às vezes, ouvimos falar de casos de mulheres que engravidam quando á estão grávidas, com tantas noticias falsas na internet ficamos com dúvidas sobre a sua veracidade. De fato isto pode ocorrer, denomina-se superfetação.

A superfetação é uma situação rara. Nestes casos a mulher fica grávida de gêmeos, mas não ao mesmo tempo. Os bebês tem alguns dias de diferença na conceção.

São casos raros, mas não impossíveis.

O que acontece numa gravidez normal.

Numa gravidez normal, quando ocorre a fecundação o corpo emite um sinal que impede que mulher tenho uma nova ovulação, impedindo que outro óvulo possa ser fecundado.

O que acontece nestes casos

Quando uma mulher está a fazer tratamentos para engravidar, ou então, está com problemas hormonais pode acontecer que a mulher já estando grávida há alguns dias, possa ovular novamente.

Se a mulher apresenta outro óvulo maduro, ele pode ser fecundado 2 ou 3 dias depois de já ter ocorrida a outra fecundação.

A mulher estará grávida de gêmeos, gêmeos falsos ou bivitelinos, porque cada um terá a sua placenta.

Como saber se os gêmeos têm idades diferentes

Para além de raro de acontecer, também pode ser complicado de perceber. Para saber se a superfetação ocorreu é necessário um ultrassom que mostra que um bebê apresenta menos desenvolvimento que o outro.

O médico pode suspeitar que a gravidez é de gêmeos quando os níveis de Beta HCG estão muito altos e a gravidez múltipla é confirmada com um ultrassom.

Como acontece o parto nestes casos

Por norma, nestes casos, a diferença de um bebê para o outro é apenas de dias, mas pode acontecer haver uma diferença de semanas.

O parto deve ser estudado, o bebê mais novo deve estar pronto para o nascimento, mas o bebê mais valho não deve ultrapassar as 41 semanas de gestção.

Caso real: Mulher engravida já estando grávida

A digital influencer, Thaiana Zimermam Nunes de 24 anos disse que ela e o seu marido Bruno passaram por essa experiência.

Ela que já é mãe de Gabriel de 5 anos, teve as gêmeas Yris e Alice, de 6 meses.

Thaiana contou para a revista “Crescer”: “Sempre quis ser mãe de menina. Com 15 anos, não tinha nem namorado e já comprava roupinhas e lacinhos. Quando conheci o meu marido, mostrei tudo para ele e já avisei que meu sonho era ser mãe. Meu primeiro bebê foi um menino, o Gabriel. Em 2016, engravidei novamente, mas infelizmente, passei por um aborto. Cheguei a desistir de ter outro filho”.

“Em 2018, engravidei mais uma vez. Ficamos surpresos, pois, foi de forma inesperada. Com 7 semanas, fiz um ultrassom, ouvi o coraçãozinho e chorei de emoção”.

A transvaginal mostrou que havia um saco gestacional em formação e os batimentos cardíacos ainda estavam bem fracos.

A futura mamãe ficou assustada e ao mesmo tempo muito feliz porque em vez de ter um bebê, ela teve dois e completaram os três filhos.

As duas meninas nasceram saudáveis com 2,2 kg e 2,4 kg. Elas não precisaram ficar na UTI e foram todas para casa.

A jovem finalizou dizendo que elas são seus milagres.

Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.