Sintomas de gravidez: conheça os primeiros sinais que o seu corpo envia

É bem comum que os sintomas de gravidez sejam confundidos com sintomas de TPM, em especial quando a gestação está nas primeiras semanas.

Como a mulher não percebe nenhuma barriguinha saliente ainda, se ela tiver um ciclo menstrual normal pode nem desconfiar que está esperando um bebê.

Veja agora quais são os principais sintomas de gravidez para saber como prestar atenção aos sinais que o seu corpo envia.

Sintomas de gravidez: identifique quando o seu corpo está acolhendo um bebê

De acordo com o Ministério da Saúde, os sintomas de gravidez comuns são considerados normais, ainda que muitos tragam incômodos para a rotina da mulher. Como a gestação é um processo fisiológico, o organismo está preparado para levá-la adiante sem qualquer intervenção externa depois da fecundação.

Então, de modo geral, não há com o que se preocupar. Mas é importante saber reconhecer quando o corpo avisa que algo diferente está acontecendo para que possa adaptar o seu estilo de vida, caso seja necessário.

Atraso menstrual

Esse é um dos mais clássicos sintomas de gravidez, pois quando o óvulo é fecundado pelo espermatozoide, ele não será liberado em forma de menstruação.

Ele estará mais ocupado cumprindo uma função importante que é prover a vida dentro do útero. Então, as mulheres com a menstruação bem regulada podem considerar esse um sintoma – quase certo – da gestação.

Mesmo assim, vale a pena fazer um teste de farmácia e depois um de sangue para confirmar.

Aumento do volume e da sensibilidade dos seios

O inchaço e a sensibilidade dos seios costuma ser um sintoma de TPM bem comum, mas ele só ocorre dias antes de a menstruação descer.

Sendo assim, se perceber esse sintoma fora do período menstrual, é um sinal de alerta que merece ser investigado.

As mulheres deve tentar perceber se há outros sintomas, como o escurecimento das aréolas dos mamilos, mas mesmo assim pode fazer um teste para tirar qualquer dúvida.

Enjoo e vômito

Para cada mulher adulta que se sentir enjoada vai ter uma pessoa para dar o palpite da gravidez. Esse hábito faz parte da cultura popular e tem sentido. O enjoo, seguido ou não de vômito, é um dos mais clássicos sintomas de gravidez que ocorre especialmente na segunda semana após a fecundação e geralmente aparece logo pela manhã.

Então, é um sinal de que a gravidez está bem no início.

Pequeno sangramento

As mulheres costumam esperar por sangramentos quando vão menstruar ou quando não menstruam, mas ocorrem os escapes.

Entretanto, é bem comum que logo no começo da gestação, quando o embrião chega e se instala no útero, ocorra um pequeno sangramento.

Esse sintoma não acontece sempre, mas deve ser considerado um sinal para fazer um teste de gravidez, especialmente se tiver acompanhado de outros dos sintomas aqui listados.

Vontade de fazer xixi com mais frequência

Não é apenas quando a barriga já está grande que a gestante sente vontade de fazer xixi o tempo todo. Esse sintoma também se manifesta no início da gravidez, já que o corpo está começando a se modular para o crescimento uterino.

A bexiga começa a ser pressionada por outros órgãos, então vai precisar eliminar urina com mais frequência porque a sua capacidade normal não estará mais disponível até o nascimento do bebê.

Alterações gastrointestinais

O enjoo é uma dessas alterações, mas além dele, outros sintomas de gravidez são a prisão de ventre, gases e cólicas não muito intensas. Tudo isso faz parte da adaptação do organismo para acomodar o bebê ao longo do seu desenvolvimento.

Então, ao perceber essas mudanças de comportamento intestinal sem um motivo aparente, pode ser gravidez.

Os sintomas de gravidez são iguais em todas as mulheres?

Embora exista um padrão, os sintomas de gravidez variam bastante de mulher para mulher. Algumas nem sequer sentem os sintomas mencionados no tópico anterior, havendo casos de descoberta da gestação só quando a barriga começa a crescer e aparecer.

Por outro lado, há mulheres que sentem sintomas tão intensos que necessitam de acompanhamento médico com medicamentos que são capazes de reduzir determinados sintomas. Entre esses sintomas também pode ser que a mulher sinta:

Desejos por comidas estranhas (ou por comer o que não é comestível);

Aumento da libido;
Aversão a cheiros fortes;
Instabilidade emocional;
Aumento da salivação e da transpiração;
Sangramento da gengiva;
Inchaço da vulva;
Ronco;
Coceiras pelo corpo.

Vale lembrar que a mulher não precisa passar por todo esse processo sozinha, independente da sua condição de vida no momento em que descobre que está grávida.

Mesmo as mulheres que não têm condições de usufruir de um acompanhamento obstétrico particular, podem tranquilamente ir à Unidade Básica de Saúde do seu bairro para se cadastrar na Rede Cegonha, um programa do Ministério da Saúde que inclui desde o Teste Rápido de Gravidez para confirmar a gestação até o acompanhamento pediátrico no primeiro mês após o nascimento do bebê.

Sendo assim, os médicos da Rede Pública podem orientar a gestante sobre todos os cuidados que pode ter para aliviar os sintomas de gravidez, inclusive se precisarem de medicação.

Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.