Mordidas: Como lidar quando seu filho que morde ou é mordido

Os pais com crianças pequenas passam por uma fase em que os filhos mordem ou são mordidos. A verdade é que este comportamento é normal e tem uma explicação.

Apesar de ser um comportamento “normal” nenhum pai gosta de saber que o filho foi mordido ou que mordeu algum coleguinha. Vamos tentar explicar porque isto acontece.

Lembrando que as crianças, especialmente, entre os 1 os 2 anos estão numa fase de desenvolvimento da sua personalidade e reagem da forma natural às situações que acontecem.

Porque é que as crianças mordem

A mordida faz parte da parte do desenvolvimento da criança, especialmente, entre 1 e 2 anos de vida. Pode acontecer até mais tarde.

Advertisement

A mordida é então a forma da criança comunicar e mostrar os seus sentimentos. Numa fase em que ainda não dominam a comunicação verbal, a criança utiliza a mordida para mostrar sentimentos negativos como raiva e descontentamento.

É muito comum a criança morder na hora em que há a disputa por um brinquedo.

Dicas para pais de crianças que mordem

Não desvalorize, nem ria neste momento é importante mostrar à criança que agiu mal.

Explique o motivo de não poder morder. Explique que os meninos ficam tristes e os papás também.

Advertisement

Nenhum pai gosta que o filho seja mordido, mas a verdade é que hoje foi mordido amanhã pode morder. É importante compreender que apesar de desagradável é algo natural.

Quando a mordida se torna preocupante?

A verdade é que a mordida faz parte do desenvolvimento de quase todas as crianças. Em algum momento a criança vai recorrer à mordida para defender o seu território. No entanto, a mordida pode ser algo preocupante quando ultrapassa os 2 anos de idade e acontece com muita frequência, às vezes sem razão aparente.

Nestes casos convém levar a criança a um médico para ajudar a lidar com os sentimentos de frustração.

Advertisement
Advertisement
Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.