Gravidez tardia: conheça os desafios e vantagens da gravidez depois dos 40 anos

Há algumas décadas, era comum ver mulheres se casando e tendo os primeiros filhos antes dos 20 anos de idade. Eram menos casos de mulheres que tinham a chamada gravidez tardia, por volta dos 35-40 anos, quando o corpo começa a dar os primeiros sinais da menopausa. Mas, há algumas décadas, a expectativa de vida era menor e o estilo de vida das pessoas era bem diferente.

Entretanto, o estigma de que mulheres devem se casar e ter filhos cedo porque a gravidez depois dos 40 tem mais chances de não vingar, ainda existe e assombra muitas mulheres nessa idade que adorariam experimentar a maternidade biológica, mas ainda não conseguiram.

O medo de não conseguir chega a atrapalhar as tentativas de uma gestação, seja ela natural ou com auxílio da tecnologia.

Gravidez depois dos 35 é possível

A chamada gravidez tardia, depois dos 40 anos idade, está sendo desconstruída. Hoje em dia os médicos especialistas afirmam que não há qualquer problema em engravidar nessa idade porque, de modo geral, as mulheres ainda estão férteis e com seu sistema reprodutor em perfeitas condições de gerar um bebê.

A prova é estatística. Conforme levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dos 2,86 milhões de nascimentos registrados no Brasil em 2017, em 35,1% dos casos a mãe tinha 30 anos ou mais de idade.

CONTINUAR A LER