Fotos dos filhos nas redes sociais: conheça os perigos e como postar em segurança

Atualmente, as redes sociais fazem parte da rotina de quase todas as pessoas, tornando muito comum que os pais queiram publicar os momentos fofos de seus pequenos em foto ou vídeo. Parece uma atitude muito simples e inofensiva, mas na verdade, esconde perigos que os pais precisam estar atentos.

As fotos dos filhos nas redes sociais devem ser publicadas com certos cuidados que você vai ver a seguir, na intenção de prezar pela segurança da família.

Quais os perigos de publicar fotos dos filhos nas redes sociais?

O gosto por publicar fotos dos filhos, sobrinhos e netos nas redes sociais já tem até nome, se chama shareting, que é a união das palavras share (compartilhar) e parenting (parentalidade). Esse termo foi criado justamente para abrir questionamentos importantes sobre o risco da divulgação de imagem de crianças nas redes.

Mesmo que pais e mães publiquem fotos dos momentos especiais de seus filhos apenas para os amigos nas redes, não é bem assim que funciona. Outras pessoas acabam vendo as publicações, seja por compartilhamentos, curtidas ou comentários que fazem a publicação se espalhar além do esperado.

Sendo assim, não existe uma garantia de que apenas um grupo seleto de amigos terá acesso às imagens das crianças, a menos que os pais enviem somente para um grupo fechado de pessoas. Ainda assim, há o risco de eles compartilharem sem más intenções, dando acesso às pessoas mal-intencionadas.

Esse e outros riscos e cuidados que todas as pessoas devem ter ao usar a internet são gerenciados e divulgados no Brasil pela empresa SaferNet Brasil, que se apresenta como “uma associação civil de direito privado, com atuação nacional, sem fins lucrativos ou econômicos, sem vinculação político partidária, religiosa ou racial. Fundada em 20 de dezembro de 2005, com foco na promoção e defesa dos Direitos Humanos na Internet no Brasil”.

Desde o ano de sua fundação, a empresa vem se atualizando conforme as novas necessidades dos usuários nas redes. Quanto a este assunto em específico, em entrevista para o site Bebê.com.br da Editora Abril, o diretor de educação da SaferNet explicou que a internet é um espaço público aberto de acesso quase irrestrito, o que impede os pais de terem total controle sobre as imagens que publicam de seus filhos e é aí que mora o perigo.

Risco de sequestro

Casos de sequestro de crianças na porta da escola não são raros no Brasil, infelizmente. O que muitos pais não sabem é que aquelas fotos dos filhos nas redes sociais em que eles aparecem uniformizados para o primeiro dia de aula, por exemplo, entrega em que escola ele estuda e como o sequestrador pode encontrá-lo. A mesma foto pode indicar até o turno escolar da criança e se ela vai para a escola de condução ou com os pais.

Uso de imagem para fins sexuais

Na Deep Web, a internet que as pessoas comuns não têm acesso, há uma infinidade de perversidades inimagináveis que incluem, sobretudo, pedofilia.

Uma simples foto da troca de fraldas de um bebê ou de uma criança na piscina é o suficiente para quem um criminoso pedófilo use-a como divulgação de serviços de pedofilia na Deep Web.

Certamente, ainda que não vá fazer mal fisicamente à criança, os pais não querem que sua imagem seja usada dessa maneira.

Falta de controle da comunicação dos filhos nas redes

No caso de fotos de crianças um pouco mais velhas, que já possuem perfil nas redes sociais, também há o risco de um criminoso ver a foto no perfil dos pais e buscar pelo perfil do filho na intenção de fazer contato e se aproximar dele virtualmente, se passando por uma pessoa que tenha algum interesse em comum com a criança.

As consequências vão desde sequestro a assaltos, caso a criança, na sua inocência, passe informações confidenciais da família ao estranho.

Cuidados a ter ao postar fotos dos filhos nas redes sociais

Conhecendo os riscos, fica mais fácil tomar os cuidados necessários para evitar que o pior aconteça. Alguns desses cuidados que os pais devem ter são os seguintes:

Evitar postar foto dos filhos nas redes sociais;

Não deixar aparecer uniforme escolar na foto;

Não deixar aparecer a residência ou placa da rua ao fundo da foto, de modo que seja possível um desconhecido identificá-la;

Não deixar aparecer a placa ou modelo do carro da família na foto;

Evitar fazer check-in das atividades rotineiras da família na foto;

Nunca mencionar que a família está viajando, dando a entender que a casa está vazia;

Evitar fotos de momentos muito íntimos da família;

Configurar os perfis em todas as redes sociais para “privado” restringindo apenas aos amigos próximos o acesso ao conteúdo publicado.

Advertisement
Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.