Exame do cotonete: Como é feito e para que serve

Um dos exames que causa mais dúvidas e receios na grávida é o exame do cotonete, muitas desconhecem como é feito e para que serve.

O exame do cotonete é um exame feito no final da gravidez para verificar a existência da bactéria Streptococcus.

É um teste que recolhe amostras da vagina e do ânus com um utensílio semelhante a um cotonete, daí o nome comum do exame.

O que é Streptococcus B

O Streptococcus é uma bactéria que está presente naturalmente no trato gastrointestinal, esta bactéria é bem comum e pode ser encontrada na área vaginal ou retal em 10% a 35% de todas as mulheres adultas saudáveis. Como a maioria das mulheres não apresenta sintomas, é necessário fazer este exame para verificar a sua presença.

Se a bactéria colonizar a vagina pode trazer complicações durante a gestação e no momento do parto.

A bactéria pode ser responsável por rutura prematura de membranas, parto prematuro para além de riscos de saúde para o bebê.

Quando é feito o exame do cotonete?

A recomendação é que o exame seja feito entre a 35ª e a 37ª semana de gestação.

Este exame do cotonete verifica a presença e quantidade de Streptococcus B, em caso de positivo são necessárias algumas providências na hora do parto.

Como é feito o exame do cotonete

O exame é feito num laboratório. Consiste na coleta, usando um swab(espécie de cotonete grande), de amostras da vagina e do ânus.

O resultado é liberado entre 24 e 48 horas.

Se o exame seja positivo é necessário a administração diretamente na veia de antibiótico algumas horas antes e durante o parto.

No entanto, se a mulher apresentar sintomas nos dois primeiros trimestres de gestação, o médico pode recomendar o tratamento com antibióticos, para evitar complicações durante a gravidez, como aborto espontâneo ou parto prematuro.

Sintomas de infecção pelo Streptococcus B

Febre
Problemas respiratórios
Pneumonia
Instabilidade cardíaca
Alterações renais e gastrointestinais
Sepse

As grávidas devem ser informadas dos resultados e estes devem ser registados no boletim de saúde da grávida.

Advertisement
Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.