Crise dos 7 anos: Como Lidar com essa Fase da Criança

Os 7 anos de idade são caracterizados por serem a “idade da razão”, no sentido da evolução racional. As grandes conquistas dessa fase são aprender a ler e a escrever e a distinção de conceitos morais, como o que é certo e errado.

Com isso, surgem novas dúvidas e questionamentos, dando início a crise dos 7 anos.

É uma fase complicada para os pais, mas também para as crianças.

O que é a crise dos 7 anos?

Na verdade, crise é um termo um tanto quanto dramático para se falar da beleza das descobertas que os 7 anos de idade proporcionam.

Então, para começar, tente enxergar seu filho de 7 anos como um grande explorador da vida, um aventureiro esperando ser guiado sem repressão, apenas com respostas claras sobre os questionamentos dele.

É muito importante que, nessa fase, os pais estejam atentos ao próprio comportamento, lembrando que devem dar o exemplo, pois estão sendo mais observados do que imaginam. Esse é um momento crucial para o desenvolvimento emocional saudável da criança, influenciando suas atitudes até a vida adulta.

Quando se fala em crise dos 7 anos, os profissionais da psicologia infantil se referem aos efeitos desse passo no amadurecimento racional e emocional da criança.

Nessa fase ela percebe que pode ter domínio do próprio corpo com muita habilidade motora, se veste sozinha, amarra os sapatos, se orgulha por conseguir ler e escrever.

Mas, em contrapartida, essa autonomia a faz sentir maior necessidade de aprovação dos adultos que a cercam, como os pais e professores.

Ela quer mostrar tudo o que sabe fazer sozinha, mas precisa que um adulto da sua confiança lhe diga que está indo bem ou que precisa melhorar (mostrando como melhorar).

Como lidar com a crise de 7 anos do seu filho

Todos esses ajustes pessoais e sociais que ocorrem nessa nova fase necessitam de orientação e estímulo.

A criança precisa do adulto sempre por perto, até porque você sabe que ser independente é cansativo e, às vezes, dá mesmo vontade de chamar a mãe ou o pai para continuar suas tarefas.

Ainda bem que o seu filho de 7 anos pode contar com você para isso. Veja de que formas pode ajudá-lo a evoluir ainda mais.

Estímulos sem pressão são bem-vindos

A crise dos 7 anos será vivida com muito mais tranquilidade pela família inteira se os mais velhos se comprometerem a ajudar a criança.

Para se manter interessada e evoluindo em seus novos aprendizados, os pais e irmãos mais velhos devem estimulá-la a fazer atividades relacionadas com o que está aprendendo na escola.

O estímulo à leitura de uma literatura infantil é uma ótima ideia, junto com a criação de gibis e livretos de forma artesanal para incentivar à escrita. Peça para a criança escrever a lista do supermercado enquanto você dita os itens. Crie brincadeiras que envolvam leitura e escrita.

Passeios e pesquisas culturais relacionadas aos assuntos da escola também são ótimos, como fazer visitas a museus, bibliotecas, ir ao teatro e ao cinema. A criança está pronta para absorver muita informação, então proporcione informação de qualidade a ela, de forma leve e agradável, pois as exigências nesse sentido já serão feitas na escola.

A postura dos pais vai guiar todos os momentos

Nessa idade de transição entre começar a ser responsável e ainda ser uma criança pequena, a criança pode se sentir confusa.

Então, a função dos adultos que a cercam é guiá-la, orientando gentilmente sobre suas atitudes, parabenizando ou mostrando caminhos melhores a seguir.

A criança precisa de explicações claras e sentir que estão dizendo a verdade a ela, claro, até o ponto em que ela é capaz de compreender certas coisas.

Da mesma forma, os pais também podem ficar confusos às vezes, pois seu pequeno ainda gosta de colo e atenção, mas em outros momentos, fica bem sozinho e entretido com suas atividades.

O importante é os pais saberem que sua presença é fundamental, mesmo quando o filho parece estar distante. Essa distância é momentânea, ele ainda é uma criança. Então, apenas respeite o espaço e esteja sempre por perto quando ele precisar.

Outro ponto importante da crise dos 7 anos é que a criança poderá agir com mais agressividade em vários momentos.

Os pais não devem encarar esse comportamento como desrespeitoso ou problemático, pois a criança nessa idade está muito exigente consigo mesma.

Claro, a menos que esse comportamento pareça anormal e venha acompanhado de outras características preocupantes. Nesse caso, o ideal é buscar orientação de um especialista.

Mas, de modo geral, pequenos ataques de raiva, como por exemplo quando tira uma nota baixa, devem ser acalmados com abraço, beijo e conversa. Seu filho só está tentando conseguir sua aprovação. Então, nunca se canse de dizer que você se orgulha, confia na capacidade dele e que ele está indo muito bem.

Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.