Como educar um filho pequeno: 7 dicas úteis do que não fazer

No dia a dia os pais fazem o que podem para dar conta dos compromissos e ainda dar a atenção necessária aos filhos.

Mas toda essa pressa faz com que muitas atitudes erradas acabem passando despercebidas ou até são percebidas, mas ignoradas, como se não tivessem impacto nas crianças. Então, o que você vai ver a seguir não é um manual de como educar seu filho pequeno, até porque cada família tem suas regras e seus valores.

Mas existem dicas bem interessantes e muito úteis para trazer a atenção dos pais de volta aos sentimentos dos filhos, fazendo com que percebam o peso de suas palavras e o poder de suas atitudes.

7 Dicas úteis de como educar seu filho pequeno

Muitas vezes, os pais trazem aquelas raízes duras da educação que tiveram para a educação que oferecem aos filhos.

É algo que acontece de forma espontânea, pois são atitudes e palavras que ficaram lá na memória da infância, aquela que marca para a vida toda.

O lado ruim disso é que muitos pais acabam tratando os filhos como mini adultos, dando-lhes responsabilidades difíceis de cumprir, o que resulta em frustração e brigas.

Dão ordens com a justificativa errada, comunicam-se sem clareza e não ouvem o que os pequenos têm a dizer.

Tudo isso atrapalha muito na forma de como educar seu filho pequeno para que seja uma criança alegre, comportada, entusiasmada e curiosa. Então, o que pode ser feito para melhorar? Veja algumas sugestões a seguir.

  1. Evite as perguntas retóricas

De que adianta fazer perguntas retóricas para o seu filho pequeno, se na verdade você quer uma resposta útil para que vocês se comuniquem?

Perguntar “você ainda não arrumou seus brinquedos?” quando claramente a criança ainda está em meio à bagunça, não vai fazê-la entender a importância de manter os brinquedos organizados.

Em vez disso, reafirme a ordem com tranquilidade, porém, firmeza: “filho, guarde os seus brinquedos agora”.

  1. Nunca faça chantagem emocional

Os filhos não precisam ter medo dos pais para respeitá-los.

Não precisam estar condicionados a perder alguma coisa de valor ou a sentirem-se culpados sobre o sentimento que causam nos pais para resolverem obedecer. Simplesmente, não funciona.

Pelo contrário, ao fazer a chantagem emocional, você deixará seu filho desamparado, quando na verdade, você é a pessoa que ele espera poder confiar sempre.

  1. Não demonstre falta de controle

Quando os filhos são bem pequenos, até os 3 ou 4 anos, a falta de controle dos pais ao falar causa medo. Quando são um pouco mais velhos, vai causar o enfrentamento, com aquele pequeno olhar desafiador, de quem não está disposto a obedecer.

Logo, a situação realmente fica sem controle porque não está havendo o exemplo do respeito mútuo. Seu filho não vai lhe obedecer caso você tenha o hábito de lhe dizer um monte de ameaças que ele já sabe que nunca serão compridas, como “você vai ver” e “eu vou embora dessa casa”.

Pedagogos que ensinam como educar seu filho recomendam que os pais trabalhem seu controle emocional para transmitir essa habilidade.

  1. Dar sermão é tempo perdido

Por acaso você já ouviu um sermão dos seus pais com toda a atenção e, ao final, agradeceu pelas palavras de sabedoria? Claro que não. Então, não faça isso com o seu filho, pois é um tempo perdido.

As crianças pequenas ainda são limitadas quando precisam prestar atenção em alguma coisa.

Para resolver, você precisar ser claro e objetivo, simplificando as coisas. Deixe para prolongar e aprofundar assuntos com os adolescentes, quando for necessário.

  1. Não rotule seu filho

Uma coisa é dizer ao seu filho o que você espera dele a curto prazo, quanto às tarefas que precisa cumprir e o comportamento que precisa ter em cada situação. Outra coisa é rotulá-lo como desobediente, chato ou mal-humorado.

Pode parecer uma atitude inofensiva, mas está vindo da pessoa mais importante para a criança: você.

Os rótulos negativos prejudicam a autoestima da criança, em vez disso, invista em soluções e, depois, em elogios quando ela fizer o que deve ser feito.

  1. Não explique o que não precisa ser explicado

Essa é uma dica bem interessante de como educar seu filho de forma tranquila, evitando estresse desnecessário.

Quando a criança pequena faz uma pergunta, ela quer ouvir a resposta simples e objetiva para aquela pergunta. Então, nem sempre é necessário prolongar o assunto com explicações, a menos que precise convencer a criança do motivo por ela não poder sair para brincar, por exemplo. Mesmo assim, seja breve.

  1. Não faça promessas que não vai cumprir

Se o seu filho souber que pode confiar em você porque as suas atitudes demonstram isso, você conseguirá ter com ele um laço mais estreito.

Nunca faça promessas que não vai cumprir. Caso aconteça sem intenção, por causa de algum imprevisto, leve isso a sério, converse com a criança e se desculpe.

Você a estará incentivando a fazer o mesmo e a desenvolver a empatia pelo próximo.

Atitudes positivas de como educar seu filho

Crédito: Freepik

Depois de saber o que não deve fazer para educar filho pequeno, é bom lembrar de atitudes positivas que você deve praticar no dia a dia. São formas bem importantes de criar uma relação mais amigável, de amor, confiança e segurança com o seu pequeno e que vão guiar os valores dele para toda a vida.

Esteja presente, de verdade, olhando nos olhos e dando atenção plena;

Elogie sempre que possível e nunca deixe de dizer o quando ama seu filho;

Valorize as qualidades da criança e a incentive a fazer o que ela gosta;

Esteja sempre pronto para ouvir, mesmo quando “agora não dá”;

Saiba dizer não, quando necessário. É o que os psicólogos recomendam, pois, seu filho saberá que quando disser será para o bem dele;

Seja sincero, na medida. As crianças de hoje em dia estão espertas e vão confiar mais em você se disser a verdade a elas, claro, usando as palavras certas;

Incentive seu filho a ser melhor para ele mesmo e não para se comparar aos outros;

Brinque com seu filho, brinque muito. Para ajudar, veja 10 ideias de brincadeiras para fazer com os filhos pequenos.

Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.