Dar colo ao Bebê é Fundamental para o seu Desenvolvimento

Com certeza você já ouviu alguma frase para não dar colo ao bebê, porque estraga!

A verdade é que, quando o bebê chega a casa fica difícil largá-lo! Afinal de contas, foram praticamente 9 meses de espera para estar ainda mais perto, tocar e sentir o cheirinho do bebê.

Mas o que dizem os especialistas sobre dar colo ao bebê: será que faz mal?

Por que é importante dar colo ao bebê

Pegar no colo ou deixar no berço? Um dilema sem fim enfrentado pelos pais, principalmente aqueles de primeira viagem!

Mas atenção, para a boa notícia: dar colo ao bebê não o estraga! Muito pelo contrário. É fundamental nos primeiros meses de vida, tornando-se este, um ato de segurança e afetividade. Além de promover o desenvolvimento saudável.

Após o nascimento do bebê, que permaneceu dentro da barriga da mãe – por diversos meses -, ele sente-se desamparado. E é justamente no momento em que a pele da mãe, toca a do seu bebê, assim como ele se encosta em seu peito, que a sensação de conforto e segurança retorna.

Ali, além de se sentir aquecido, também há o cheiro da mãe para ele sentir, assim como os batimentos do coração, que ele já reconhece.

Benefícios de dar colo ao bebê

Um dos primeiros sentidos a se desenvolverem é o do tato, tornando os bebês extremamente sensoriais ao estímulo e toque da pele.

É exatamente esse contato direto que ajuda a promover o desenvolvimento saudável da autoestima e confiança. Conheça os demais benefícios:

Promove a sensação de conforto promovida pelo contato com a mãe, assim como ouvir as batidas do coração;

Fortalece os vínculos familiares entre os pais e seu filho (e isso incluir o pai, que também deve dar colo ao bebê);

Ajuda no desenvolvimento psicológico reduzindo a chance de desenvolvimento de transtornos, depressão e ansiedade;

De acordo com os estudos realizados e divulgados pelo Center on The Developing Child, da Universidade de Harvard nos Estados Unidos, aponta que, além da sensação de toque ao dar colo ao bebê, também há outro fator interessante. Esse ato ajuda o bebê a reconhecer seus limites, auxiliando no seu desenvolvimento e amenizando.

Elimina-se assim o fator do estresse tóxico, promovendo a saúde durante o seu desenvolvimento. As crianças crescem mais fortes, saudáveis, seguras e tranquilas para lidar com situações complicadas.

Já a publicação da Science Daily, do estudo realizado pela British Columbia, no Canadá, comprovou que o comportamento da criança está diretamente relacionado com o fato de dar colo ao bebê. Ainda de acordo com o estudo, há alterações no DNA dos genes ligados ao sistema imunológico e do metabolismo.

Ou seja, aqueles que receberam colo durante a sua fase de desenvolvimento, chegaram aos 4 anos de idade com mais saúde, assim como melhores capacidades psicológica e mental.

5 Mitos e verdades quando o assunto é colo

Dar colo ao bebê é benéfico, principalmente para o seu desenvolvimento! Entretanto, apesar dessa informação, ainda há alguns mitos a serem desvendados sobre o assunto. Confira:

1. Colo deixa o bebê mal-acostumado

Mito. Os especialistas recomendam dar muito colo aos bebês e não confundir carinho com superproteção. Bebês necessitam ser carregados, mimados e massageados, pois é com o toque que eles se sentem seguros e confortáveis.

2. Facilita a amamentação

Verdade. A aproximação da mãe com o bebê aumenta os níveis de ocitocina, o hormônio ligado à diminuição do estresse. Esse, por sua vez, também ajuda a mãe a produzir mais leite, uma vez que estará mais tranquila.

3. Colo de mãe é mais importante que do pai

Mito. O colo do pai é tão importante quanto o da mãe, sendo que, a figura paterna deve estar inserida em todos os processos de cuidados com os filhos. O pai também precisa dar colo ao bebê, uma vez que é fundamental para o desenvolvimento emocional.

4. Acalma bebês e mães

Verdade. Não apenas os bebês, mas também as mães! É exatamente por isso que algumas Unidades de Tratamento Intensivo Neonatal permitem que as mamães carreguem seus bebês durante o período de internação.

Os níveis de tensão e estresse costumam cair consideravelmente nas mães e, nos bebês, promove mais estabilidade cardíaca, ao entrar em contato com a pele e sentir o coração da sua mãe.

5. Eles não largam o colo sozinhas

Mito. Por volta dos 2 e 3 anos a criança a criança começa a ganhar confiança e independência para explorar o mundo, dando seus primeiros passinhos. Nessa fase, sua necessidade de colo diminui bastante. Entretanto, não é necessário negar colo. .

Portanto não se preocupe com o que os outros dizem sobre dar colo ao bebê!

Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.