Cantinho da Calma vs Cantinho da Disciplina- Diferenças

Quando os pequenos aprontam ou estão muito irritados e acabam agindo com agressividade, os pais costumam colocá-los de castigo no quarto ou no famoso cantinho da disciplina.

Esse cantinho é um ponto específico da casa em que a criança fica sentadinha aguardando alguns minutos (o tempo é determinado conforme a sua idade) até que esteja mais tranquila.

Mas nem sempre o cantinho da disciplina traz bons resultados, então muitos pais estão aderindo à versão do cantinho da calma. Saiba mais sobre como funciona.

Cantinho da calma ou cantinho da disciplina: qual é a diferença?

Disciplinar as crianças é essencial para que elas desenvolvam a capacidade de conviver em sociedade e de compreender melhor os próprios sentimentos. Mas atualmente o conceito de disciplina não é mais o mesmo de antigamente, que era baseado na punição. Essa é a diferença essencial entre o cantinho da disciplina e o cantinho da calma, veja:

Como é o cantinho da disciplina

O cantinho da disciplina se caracteriza por ser um espaço no qual a criança deve ficar sozinha e em silêncio pensando sobre o que fez de errado.

O problema desse método é que as crianças não têm ainda uma capacidade complexa de reflexão formada para que consigam pensar no que fizeram e concluírem que não podem mais fazer por determinados motivos.

Ou seja, é um cantinho que não ajuda, pelo contrário, faz a criança se sentir punida por algo que ela, muitas vezes, não sabe estar fazendo errado ou simplesmente por uma atitude que não conseguiu conter, já que é apenas uma criança.

Como é o cantinho da calma

Diferente da versão anterior, o cantinho da calma é uma proposta baseada na educação afetiva que faz parte da filosofia da disciplina positiva.

Quer dizer que, ao agir de forma errada, seja porque está fazendo birra ou não consegue controlar e explicar o que está sentindo, a criança é orientada a passar um tempo em um espaço criado para que ela se acalme.

Esse espaço não precisa ser um ambiente feio, como um canto na parede com uma cadeira e mais nada, pois a ideia não é punir, e sim, educar e estimular a tranquilidade do corpo e da mente para que a criança consiga então expressar o que está sentido e voltar a compartilhar o ambiente em que estava antes.

O foco do cantinho da calma está no afastamento do ambiente de conflito para que a criança possa mudar sua perspectiva.

Com os adultos essa estratégia também funciona. Muitas vezes, para conseguir retomar a calma e repensar nas atitudes, o primeiro passo é sair de onde está e ir para um local mais tranquilo e agradável. Sendo assim, o cantinho da calma deve ser um espaço gostoso de estar e com um propósito bem definido para os adultos e também para as crianças da casa.

Como fazer um cantinho da calma em casa de forma eficaz

Agora que já conhece as diferenças pontuais entre o cantinho de disciplina e o cantinho da calma, planeje-se para montar esse ambiente em casa.

É importante ressaltar que esse cantinho deve ser construído junto com a criança, pois a ideia é que seja um espaço no qual ela mesma vai querer ir quando precisar se acalmar de alguma forma.

Faz parte do processo estimular a autonomia dos pequenos para que, logo, sejam capazes de tomar as próprias decisões. Então, antes de começar, explique para que vai servir esse espaço e quando a criança será convidada a ir para lá ou quando ela achar que deve ir para se sentir mais calma.

Precisa haver regras para que a proposta continue fazendo sentido.

1. Escolha do cantinho

Como o cantinho da calma não se trata de punição, ele deve ser montado em um local da casa em que a criança goste de estar.

A ideia é justamente que ela se sinta acolhida em um local para que possa refletir sobre sua atitude.

2. Decoração do cantinho

Assim como a escolha do cantinho é importante e deve ser feita junto com a criança, a decoração também é válida para que esse espaço seja um refúgio. Aplique as ideias do Método Montessoriano nesse espaço, decorando-o com itens que sejam úteis para acalmar a criança e que esteja tudo ao alcance dela.

Apenas lembre-se que, desde o início da ideia, a criança deve estar consciente sobre o propósito desse cantinho e que ele não é uma brincadeira, e sim, um lugar para respirar, distrair do pensamento ruim e se acalmar.

3. Tempo para ficar no cantinho

A regra básica é que o tempo de estadia no cantinho é de 1 minuto para cada ano de vida. Ou seja, crianças de 5 anos ficam 5 minutos no cantinho. Mas essa é uma ideia válida somente para o cantinho da disciplina que obriga a criança a ficar lá sem entender o propósito. Ela só vai esperar passar o tempo e nada vai se resolver.

Por isso, no cantinho da calma quem decide o tempo de estadia é a criança.

A função do adulto é ajudar a criança a perceber se ela ficou muito pouco tempo no cantinho e ainda continua nervosa, sugerindo que fique um pouco mais para se sentir melhor.

Se a criança achar que precisa de meia hora no cantinho, esse tempo deve ser respeitado, desde que não atrapalhe em outras atividades.

4. Não mande a criança para o cantinho, apenas sugira

Sobretudo neste tópico entra em cena o exemplo dos adultos. Se em casa todos tiverem o hábito de serem gentis uns com os outros e de expressarem o que sentem, o cantinho da calma vai funcionar de forma natural.

Por exemplo, quando o pai ou a mãe estiverem muito nervosos e vier aquela vontade incontrolável de dar uma bronca de forma mais ríspida, é um grande exemplo dizer à criança que está muito nervoso e não consegue falar com ela agora, então, irá para o seu cantinho da calma e depois irá voltar para conversar.

Sim, os pais também podem e devem ter o seu cantinho da calma para dar o exemplo e mostrar que essa é uma atitude saudável. Então, vai se tornar normal que os pais apenas sugiram que a criança vá para o cantinho da calma quando estiver descontrolada.

Ela, vendo os benefícios de ir, o fará sem questionar. Caso não queira, é um bom momento para conversar sobre o que ela fez de errado.

Luana Araujo Silva

Resindência em Enfermagem Neonatal pela Universidade Estadual de Londrina/PR com amplo campo de atuação: Maternidade de Baixo Risco, Maternidade de Alto Risco, Unidade de Cuidados Intermediários e Intensivos Neonatal, Recepção do Recém nascido termo e pré termo na sala de parto. Segmento ambulatorial do recém nascido pré termo Habilitada para inserção e manutenção de Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP/PICC), com auxilio de ultrassom e Inserção de Cateter Umbilical Arterial e Venoso. Também possui ampla bagagem na áreade aleitamento materno em recém-nascidos a termo e pré-termo.