Rubéola na gravidez

A rubéola é uma doença provocada pelo Togavírus, sendo por isso de natureza infecto-contagiosa. Sendo uma doença bastante inofensiva para adultos e crianças, já o mesmo não se pode dizer para o bebé quando é contraída durante o período em que está na barriga da mãe.

Neste artigo poderá saber mais sobre esta doença, os seus sintomas, os riscos para o bebé, e como prevenir a rubéola.

Como referimos em cima, esta doença é infecto-contagiosa. O contágio ocorre normalmente através das vias respiratórias, provocando depois manchas vermelhas por todo o corpo.

Esta é a característica mais distinta desta doença. Estas manchas começam por aparecer na cara, espalhando-se depois pelo corpo inteiro. Sendo uma doença que tem riscos elevados de sequelas para o bebé em gestação, é comum os médicos alertarem para a necessidade de vacinação.

Assim, além da vacina administrada aos bebés com 15 meses de idade, também as mulheres que queiram ou possam engravidar, e que não tenham tido a vacina, devem apanhá-la, para reduzir o risco de rubéola congénita a zero.

rubeola-gravidez

Sintomas da rubéola

Os sintomas iniciais da rubéola são muito parecidos com o de uma gripe comum. Assim, é normal o paciente sentir dores de cabeça, dificuldades e alguma dor ao engolir, dores musculares e articulares, febre, e aparecimento de gânglios. Além destes sintomas, há ainda o aparecimento de manchas vermelhas por todo o corpo.

Riscos para o bebé

A rubéola congénita é a forma de rubéola em que a infeção é transmitida da mãe para o bebé, durante a gestação. Esta variante de rubéola é a forma mais grave desta doença, podendo manifestar-se através de aparecimento de malformações na criança. Assim, a rubéola congénita pode provocar problemas visuais e surdez ao bebé.

Como prevenir a rubéola

Como explicámos atrás, a forma de prevenção deste problema é através da vacinação. A vacina contra a rubéola é eficaz em praticamente todos os casos, e é administrada quando a criança tem 15 meses.

Se não tiver apanhado esta vacina em criança, a mulher que esteja em idade de engravidar, deverá pedir para receber a vacina. Se não for feita a vacinação, existe assim o risco de a grávida apanhar esta doença, e passá-la para o bebé.

Se este nascer com rubéola, pode transmitir esse vírus até um ano. Por essa razão, os bebés com esta doença não podem estar junto a outras crianças ou grávidas.

Compartilhar ;)

Rubéola na gravidez