Gravidez de gémeos

O número de gravidez de gémeos tem vindo a aumentar nos últimos tempos, estima-se que 1 em cada 8 gravidez é de gémeos, o facto deve-se ao aumento na procura de tratamento de fertilidade e ao aumento de gravidezes depois dos 35 anos. A verdade é que muitas mulheres sonham ter gémeos, e procuram formas para alcançar esse sonho. A gravidez gemelar é considerada uma gravidez de risco.

As gravidez de gémeos são acompanhadas com mais frequência que uma gravidez simples, para assegurar que tudo corre da melhor forma, uma vez que o risco de complicações como a diabetes gestacional, pré-eclampsia e anemia é maior nestes casos, existe ainda um risco acrescido de parto prematuro e de os bebés nascerem com baixo peso, mas são muitos os casos em que os bebés nascem com mais de 38 semanas e com peso considerado normal.

A gravida de gémeos deve fazer os mesmos exames que uma grávida com apenas um bebé, no entanto, as ecografias devem ser feitas mês a mês, e mais tarde semanalmente, para controlar o peso e crescimento dos bebés, especialmente nos gémeos verdadeiros que partilham a mesma placenta onde o risco de um deles receber mais sangue do que o outro é grande.

Gravidez de gémeos

Sintomas da gravidez de gémeos

Uma gravidez de gémeos pode implicar sintomas a dobrar, mas tal como uma gravidez simples, estes sintomas variam de mulher para mulher, mas é comum uma grávida de 2 ou mais bebés sentir no primeiro trimestre mais enjoos, azia e o cansaço, assim como dores nas costas e anemia, devido ao aumento de peso.

Tipos de gravidez de gémeos

Gravidez gemelar com placentas separadas (gémeos dicoreónicos) ou gémeos fraternos.

Gravidez gemelar com placenta partilhada ( gémeos monocoriónico) ou gémeos idênticos.

O parto de gémeos

O parto prematuro numa gravidez múltipla é muito comum, normalmente o médico recomenda descanso entre a 20ª e a 30ª semana da gravidez da mulher. A média de nascimentos de gémeos é cerca das 36 semanas e o peso abaixo dos 2,5 kg.

Partilhar